GERENCIAMENTO DE RISCOS

xadrez-tvAs empresas devem estar comprometidas com seus clientes, acionistas, parceiros comerciais e com a sociedade em que atua, focando esforços em reduzir os riscos existentes e/ou os que possam se manifestar no futuro e também na maximização das oportunidades de negócio. Para tanto, é necessário conhecer os riscos que a afetam e seus impactos sobre os seus negócios.

Os riscos permeiam todos os níveis das atividades do negócio e, se não forem gerenciados adequadamente, poderão resultar em perdas financeiras, deterioração da imagem e reputação ou desencadear uma crise.
O gerenciamento de riscos tem se tornado um assunto de suma importância no meio empresarial, uma vez que a conscientização da necessidade de administração dos riscos potenciais é, hoje, uma questão de competitividade e sobrevivência.

Para que seja eficaz, o gerenciamento de riscos deve fazer parte da cultura de qualquer empresa e deve estar inserido em sua filosofia, nas práticas e nos processos de negócio.

O gerenciamento do risco é uma parte integral do processo de gerenciamento. O gerenciamento do risco é um processo de múltiplas facetas, aspectos adequados dos quais são frequentemente melhores realizados por uma equipe múltipla disciplinar. É um processo interativo de melhoria contínua.

O processo de análise de riscos deve conter como elementos principais: Construção de Cenários de Riscos, Identificação dos Perigos, Análise de Riscos, Avaliação de Riscos, Plano de Ação, Monitoração e Revisão.

Construção de Cenários de Riscos

Esta primeira fase visa identificar variáveis externas da empresa, que possam trazer consequências negativas ou positivas ao negócio da empresa, tendo em vista a conjuntura macro de riscos. Nesta fase, elaboramos cenários específicos de riscos, procurando “levantar” rupturas de tendências. Quando isto acontece ou possui grandes chances de vir a acontecer, a empresa deve avaliar quais serão as ações que podem ser tomadas para enfrentar ou tentar influenciar. Desta forma, a empresa não fica passiva, podendo agir sempre de forma preventiva. Por esta razão é que a construção de cenários deve estar inserida no processo de planejamento de um gerenciamento de riscos. Nesta fase também é necessário estabelecer a estratégia, o contexto organizacional e gerenciamento de risco no qual o restante do processo se realizará.

Identificação dos Perigos

Esta segunda fase possui três objetivos:

Identificar e listar os perigos que a empresa, processos e ou departamento está exposto. A listagem deve ser realizada, levantando tanto os perigos conhecidos como os perigos desconhecidos. Os perigos desconhecidos são aqueles que nunca aconteceram, porém podem ocorrer, mesmo que remotamente.

Identificar os fatores de Influência. Os Fatores de Influência são os eventos que podem potencializar a concretização dos perigos. São variáveis controláveis e incontroláveis.

Avaliar os Fatores de Influência. A avaliação dos fatores de Influência é a mensuração dos respectivos fatores com o objetivo de identificar quais são os fatores de maior importância.

Análise de Riscos

Nesta fase estabelecemos critérios para os dois parâmetros universais: a Probabilidade e o Impacto. Os critérios para os dois parâmetros são de suma importância para a elaboração do estudo de análise de riscos.

Avaliação de Riscos

Comparar os níveis de risco em relação ao critério pré-estabelecido. A relevância dos riscos possui como parâmetro o grau de criticidade, ou seja, qual é a priorização que a empresa deve tratar cada risco, frente ao seu apetite ao risco.

Plano de Ação

Aceitar e monitorar os riscos de baixa prioridade. Para outros riscos, desenvolver e implementar um plano específico de gerenciamento o qual inclui consideração de provimento de fundos. O Plano de Ação é o conjunto de medidas organizacionais, sistemas técnicos de prevenção e monitoração, recursos humanos que gerenciarão os riscos. O Plano de Ação é elaborado com base nos Fatores de influência visando mitigar riscos.

Monitoração e Revisão

Monitorar e revisar o desempenho das ações e do sistema de gerenciamento de risco e proceder a mudanças que possam afetá-lo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *