Gestão do Conhecimento na Segurança Corporativa

A preocupação com o conhecimento não é algo novo. Platão, Sócrates, dentre outros já se preocupavam com este tema. Porém as abordagens sobre gestão do conhecimento nas organizações iniciam-se na década de 1990, pois se percebeu a importância de se desenvolver ferramentas para tornar explícito e disponível o conhecimento existente na empresa bem como a importância da troca e compartilhamento do conhecimento das pessoas.

Assim como as empresas perceberam a importância da gestão do conhecimento para melhorar a seu desempenho, a segurança corporativa também tem que perceber a importância do conhecimento para que passemos de uma segurança empírica para uma segurança científica, mudança fundamental para que gozemos de credibilidade. É fundamental identificar qual é o papel do conhecimento e o seu valor para a gestão da segurança empresarial.

Quando falamos em gestão do conhecimento estamos falando do processo de criar, captar e utilizar o conhecimento para aprimorar o desempenho da segurança empresarial. Para este fim é necessário que esteja claro a hierarquia do conhecimento:

  • Dado – Conjunto de fatos a respeito de determinado evento.
  • Informação – São dados aos quais incorporamos relevância.
  • Conhecimento – Conjunto de verdades, princípios e informações que orienta as ações.

Em termos do conhecimento é importante que percebamos que estamos falando de:

  • Conhecimento explícito – Pode ser compartilhado e captado com a ajuda da tecnologia da informação.
  • Conhecimento tácito – Conhecimento individual que evolui com a interação entre as pessoas e requer muita habilidade e prática.
  • Sabedoria – Integração de todos os elementos. Ápice do conhecimento.

Para que façamos a gestão do conhecimento, na área da segurança empresarial, é necessário que alguns princípios sejam observados:

  • O conhecimento se origina na mente das pessoas;
  • Compartilhar conhecimento exige confiança;
  • A tecnologia permite novos comportamentos em relação ao conhecimento;
  • Compartilhar conhecimento deve ser encorajado e reconhecido;
  • Recursos e apoio gerenciais são fundamentais;
  • As iniciativas de gestão de conhecimento começam com um plano piloto;
  • Medidas qualitativas e quantitativas são necessárias para avaliar as iniciativas;
  • O conhecimento é criativo e deve ser estimulado a desenvolver-se de formas inesperadas.

Além dos princípios acima, os profissionais da área de segurança empresarial devem ter em mente que existem barreiras para a gestão do conhecimento, barreiras estas que precisam ser vencidas. As principais são:

  • Limitação do tempo das pessoas;
  • Conhecimento é poder;
  • Resistência ao desconhecido;
  • Falta de métodos para mensurar as contribuições.

Como afirmamos anteriormente, na gestão do conhecimento é necessário o compartilhamento. Para alcançarmos este objetivo devemos utilizar alguns caminhos: comunidades de prática, equipes virtuais e action learning groups.

É preciso também que exista uma maior aproximação das empresas prestadoras do serviço de segurança, estruturas orgânicas de segurança e profissionais do segmento das instituições de ensino superior. Não podemos esquecer um dos objetivos destas instituições é a pesquisa. Além desta vertente, é importante que o mercado de segurança diga o que espera da graduação e da especialização em segurança, pois desta forma estas instituições podem melhor formar o gestor de segurança.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *