O Controle Emocional e Sua Importância no Ambiente de Trabalho

A importância de Manter o Controle Emocional no Ambiente de Trabalho

A falta de controle emocional no ambiente de trabalho pode atrapalhar e muito um profissional que queira se sobressair no mercado.

Ter um bom currículo é, sem dúvida, muito importante para conseguir se destacar no mercado de trabalho.

Mas será que uma boa qualificação, experiência profissional vasta e cursos extracurriculares são os três pilares preponderantes para conseguir conquistar o sucesso no trabalho?

As empresas querem – e precisam – de pessoas equilibradas, que saibam administrar o que acontece com elas no trabalho e na vida pessoal.

Dentro das instituições pouquíssimas atividades são realizadas isoladamente e, por este motivo, emoções exacerbadas geram problemas onde a produtividade é extremamente avaliada.

As pessoas são contratadas por conta das suas competências e habilidades e são demitidas por causa das suas atitudes e do relacionamento com as pessoas.

Nos cenários de violência e estresse do dia-a-dia, a falta de estrutura e outros fatores podem interferir na eficácia das ações dos profissionais de uma maneira geral.

O Perigo da Falta de Controle Emocional

É comum ouvirmos falar, ou vermos nos noticiários e jornais notícias sobre excessos cometidos por profissionais de segurança pública e privada por falta de controle emocional.

Recentemente foi veiculado em todos os meios de comunicação o caso da morte de um jovem de 25 anos que foi imobilizado e estrangulado durante sete minutos por um vigilante fardado e em serviço em uma rede de hipermercados na Barra da Tijuca.

De acordo com reportagem exibida pelo programa Fantástico, da TV Globo, neste domingo, 17, ele já havia sido condenado por lesão corporal depois de agredir uma ex-companheira.

Esse evento que teve um fim trágico alcançou repercussão nacional afetando negativamente a imagem da empresa de vigilância (contratada) e a rede de hipermercados (contratante).

O Profissional de Segurança e o Controle Emocional

O profissional de segurança é de uma maneira geral todo aquele que presta serviços de proteção a bens e/ou pessoas. Seja policial, agente ou vigilante, desempenha suas funções de maneira a atender às expectativas do contratante ou da população de modo geral. Deve ser centrado em suas atitudes, ter controlado seus impulsos e acima de tudo, possuir autocontrole diante das diferentes situações que permeiam seu trabalho.

Nesse contexto, convivemos atualmente com um cenário de violência maciça que conduz as pessoas a expressarem os mais diversos tipos de sentimento e atitudes.

Notícias sobre furtos, roubos, sequestros, torturas, homicídios, latrocínios, estupros, genocídios e infanticídios estão de tal maneira integradas ao nosso cotidiano, que nem percebemos mais o horror que expressam.

Essa agressividade urbana se faz presente em toda a vida cotidiana. Pode até passar despercebida, mas está latente, causando tensões, esgotamento, incômodos e desviando a concentração da atividade produtiva. São comportamentos anti-sociais, como a intolerância, o relaxamento da cordialidade e da cortesia, o abuso e a prepotência dos que mais podem ou mais têm, a esperteza maliciosa do finório que quer sempre levar vantagem, mesmo que isso signifique prejuízo para o próximo.

Viver em um ambiente assim é um desafio constante para a paciência e a tranquilidade de qualquer mortal e uma pressão evidente para as explosões de violência ou aparecimento do estresse.

O estresse a maneira como as células ou o organismo reage frente a estímulos externos desfavoráveis. De modo geral, estes significam perigo que exige fuga ou luta. Para ambas as alternativas o organismo precisa se preparar. A primeira providência é uma descarga de adrenalina, cuja ação farmacológica principal se faz sentir no aparelho circulatório e respiratório.

As características pessoais são importantes determinantes dos níveis de estresse experimentados por uma pessoa. Nesse sentido, não são propriamente os estressores que determinam se o impacto será grande ou pequeno, mas a vulnerabilidade individual às pressões que, por sua vez, encontram-se atreladas à estrutura psicofísica de cada um.

Em um ambiente organizacional, os trabalhadores são submetidos a pressões que possibilitam algum nível de estresse provocando um aumento nos níveis de rotatividade, absenteísmo, além de doenças e acidentes de trabalho. A identificação das fontes de pressão no trabalho é fundamental para amenizá-las ou, se possível, erradicá-las.

Quando se consegue utilizar estratégias de enfrentamento para restabelecer a ordem interior, o estresse é eliminado e volta-se ao normal. A volta ao equilíbrio pode ocorrer pelo término da fonte de estresse ou, mesmo em sua presença, quando se aprende a lidar com ela adequadamente.

Outro aspecto que se deve considerar como reflexo da atuação do profissional de segurança implica na personalidade de cada indivíduo. De modo geral, personalidade refere-se ao modo relativamente constante e peculiar de perceber, pensar, sentir e agir. A personalidade é um conjunto de hábitos e comportamentos adquiridos a partir de condicionamentos na infância e outras formas de aprendizagem que vão reforçando alguns hábitos, substituindo outros.

O comportamento do ser humano e suas respostas frente às situações e aos problemas que a vida lhe traz têm sempre a marca de sua personalidade e são por ela influenciados. É, pois, em função de sua personalidade, que o homem se ajusta (ou não) ao ambiente em que vive.

Podemos mencionar como as mais importantes, quatro características da personalidade:

  • É formada por componentes físicos e psíquicos;
  • É permanentemente influenciada pelo meio ambiente;
  • Reage sempre como um todo e seus comportamentos exercem influência recíproca;
  • É dinâmica, alternando-se em vários de seus aspectos, às vezes de maneira transitória, às vezes de maneira mais permanente.

Estratégias Para o Controle Emocional

Por tanto, o controle emocional no ambiente de trabalho é importante pois assegura que estamos gerando produtividade, felicidade e autorrealização.

O profissional tem sucesso quando aprende a lidar com as situações e a viver emoções de maneira mais equilibrada. Não apenas com as suas próprias emoções, tem que aprender a lidar com as emoções das outras pessoas também.

O melhor é aprender a identificar o comportamento, saber onde está, para aonde quer chegar (o que quer se tornar), quais seus pontos fortes, como contornar possíveis obstáculos e como criar uma rota de ação para o seu sucesso.

Quanto mais rápido entendemos como nossos valores, pontos fortes e de melhoria, motivações pessoais e profissionais potencializam ou limitam os nossos resultados, mais efetivas serão nossas ações para eliminar/minimizar improdutividade e desenvolver pontos positivos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *